top of page
Buscar
  • barauceds

Vamos conversar um pouco sobre limites?


Imagem: depositphotos

Você sabe reconhecer quais são seus limites? Consegue perceber quando eles estão sendo ultrapassados por você mesma(o) ou por outra pessoa? Consegue dizer não quando é necessário, ou acha que é egoísmo e acaba se sobrecarregando por aceitar tudo o que os outros te pedem?


Eu tenho percebido cada vez mais pessoas que não conhecem seus próprios limites, e eu mesma já me vi nesse lugar há algum tempo atrás.


Vivemos numa época em que o valor das pessoas acaba se provando pelo quanto elas conseguem produzir, pelo quanto entregam aos outros e pelo quanto elas efetivamente fazem. E na ânsia de se provar alguém útil e de valor, as pessoas acabam deixando cada vez mais os seus limites de lado.


Inclusive, arrisco a dizer que cada vez menos as pessoas são incentivadas a encontrarem quais são esses limites.


E isso tem se refletido de forma muito clara até na saúde da população - não é atoa que os casos de depressão e ansiedade tem aumentado cada vez mais, e que a síndrome de Burnout tem se tornado cada vez mais comum dentre as pessoas em idade produtiva.


Dentro dessa perspectiva em que vivemos atualmente, para muitas pessoas perceber seus próprios limites acaba se tornando uma tarefa árdua, até porque limites acabam sendo interpretados como algo ruim, que demonstram fraqueza e incapacidade. Mas isso não é verdade.


Conhecer seus limites é extremamente importante para que você entenda até onde você consegue ir, e até onde você está disposta(o) a deixar que os outros vão. É importante para que você não caia na cilada de sobrecarregar com muitas tarefas e problemas que não são seus, por não conseguir dizer não aos outros. É importante inclusive para que você possa entender qual é a hora certa para delegar tarefas e/ou pedir ajuda.


Diferente do que se pensa, reconhecer seus limites está longe de ser algo que vai te atrapalhar: na verdade, é esse tipo de autoconhecimento que da em suas mãos a possibilidade de mudar situações e relações que te fazem mal e te impedem de se desenvolver.


Mas psi, se eu não ultrapassar os meus limites, eu não vou ser uma pessoa medíocre?


Antes de qualquer coisa, gostaria de esclarecer que algo medíocre não significa algo ruim. O aspecto pejorativo que a palavra tem hoje se dá pela ideia irreal de que precisamos ser excepcionais e perfeitos em exatamente tudo que fazemos, e isso não passa de uma utopia. Estar na média já é muito mais que suficiente para muitas situações e coisas que fazemos na vida, pelo simples fato de que não tem como ser perfeito em tudo. Você pode dar o seu melhor, mas ainda assim estar na média e tá tudo bem.


Porém, reconhecer seus limites não significa que você precise ficar presa(o) a eles para sempre, e que você não possa ultrapassá-los. Você pode sim querer mais, e buscar isso! É muito mais fácil construir melhoras, e desenvolver novas habilidades a partir do momento que você consegue perceber que precisa daquilo. Se você não sabe reconhecer seus limites, como você vai conseguir superá-los de verdade, não é mesmo? E ultrapassar limites sem conhecê-los, pode te fazer meter os pés pelas mãos.


Existem vários aspectos da vida para qual nós evitamos ao máximo olhar, e os limites costumam ser um desses aspectos. Mas a verdade é que não olhar para isso mais atrapalha do que ajuda, e uma pessoa que conhece seus limites, é uma pessoa que tem a capacidade de lidar com eles de verdade e com confiança.


Antes de ultrapassar barreiras, para que você faça isso da melhor forma possível, é importante que antes você perceba que elas existem, porque elas existem e do que elas são feitas.


E se você achar que não vale a pena cruzar aquele limite específico, tá tudo bem também. Mais importante de saber quais guerras a gente quer lutar, é saber quais a gente não quer.


Quer aprender mais sobre os seus próprios limites?

Um processo de psicoterapia pode te ajudar!


Com carinho,

Dominique S. Barauce

Psicóloga

CRP 08/25857

28 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page